top of page

Qual a diferença dessas técnicas?

Responda essa enquete antes de continuar a leitura.

Você sabe a diferença entre técnica de impressão, tipo de rapport, tipo de estampa e estilo de estampa?

  • Acho que sei!

  • Não faço ideia

O que vamos conversar aqui não é uma regra, mas eu gosto de separar bem as coisas - principalmente nas minhas aulas e para meus clientes - para facilitar a comunicação e não ter mal entendido na hora do briefing.


Vamos ver mais sobre cada um?


Técnica de impressão

É a forma como a estampa será “transferida” para a superfície. No têxtil, as mais conhecidas são: serigrafia, rotativa (cilindro), sublimação, transfer e digital. Eu ainda gosto de categorizar essas técnicas em grupo: as tradicionais e as digitais.

Dentro do grupo das tradicionais, incluo a serigrafia e o cilindro por serem mais restritivas em relação ao tamanho do módulo e a quantidade de cores. Já no grupo das digitais, temos as digitais indiretas: transfer e sublimação (que são muito semelhantes, o que costuma mudar é o tamanho, mas o princípio é o mesmo). E a digital direta, também conhecida como DTG. As artes criadas para o grupo das digitais podem valem para qualquer impressão do mesmo grupo (salvo algumas situações) porque são técnicas menos restritivas - em relação à criação. Artes criadas para o grupo das digitais também podem ser impressas com técnicas tradicionais mas precisarão de mais adaptações (inclusive separação de cores).


Dica: procure no Youtube por "screen printing" e "rotary printing" para ver o processo de algumas das técnicas de impressão.


Tipo de rapport

É a maneira usada para criar encaixes perfeitos no módulo de uma estampa contínua: lateral comum e composto, cruzado e espelhado são alguns exemplos. O módulo é a menor parte que contém todos os elementos da estampa. No caso das contínuas, os lados desse módulo precisam se encaixar perfeitamente para que a estampa possa ser impressa sem interrupções. Existem muitas formas de se criar esse encaixe, inclusive no papel ao invés de usar um computador por exemplo.


Dica: lá no canal do Youtube, fiz diversos tutoriais ensinando várias das formas de rapportagem que podemos usar. Não existe um tipo certo ou errado. Mas sim, alguns são mais fáceis e automáticos do que outros. Clique aqui para acessar essa playlist.


Tipo de estampa

É a configuração do padrão em relação ao produto/modelagem: localizado, barrado, corrido, engenharia e lenço são os tipos mais comuns para tecidos. É fundamental saber qual o tipo de estampa você vai criar, antes de começar um trabalho ou passar um orçamento. Inclusive, costumo cobrar mais caro pela criação de estampas barradas e lenços.


Dica: têm dois vídeos super especiais para quem é membro do The Patternish Club mostrando em detalhes e com exemplos cada tipo de estampa que citei acima.


Estilo de Estampa

Esse é o que mais temos opções! O estilo é a característica estética (ou mensagem): animal print, floral, xadrez, etc. também pode ter um estilo mais específico como: floral botânico, xadrez buffalo, etc.


Agora, quando você for criar uma estampa, vai pensar direitinho em cada uma dessas categorias e assim facilitar seu processo criativo e de pesquisa. Ter tudo isso na pontinha da língua também vai melhorar a sua comunicação com os clientes para que não haja nenhum erro na definição de cada etapa, fazendo com que você crie artes cada vez mais assertivas, deixando o cliente ainda mais satisfeito!


Você gostaria de se aprofundar mais em algum desses temas? Deixa aqui nos comentários a sua sugestão pros próximos posts!

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Komentarze


bottom of page